Serra Catarinense. Domingo, 23 de Fevereiro de 2020
Anuncie Classificados Correio Lageano
Instituto José Paschoal Baggio
Anuncie Essencial Correio Lageano
ÁREA DO ASSINANTE

Área de acesso restrito aos assinantes do Jornal Correio Lageano:



Esqueci minha senha

Central do Assinante Correio Lageano (49) 3251-8200
Correio Lageano

Redação: 49 3221 3344
redacao@correiolageano.com.br

Comercial: 49 3221 3322
comercial@correiolageano.com.br

Selecione abaixo a cidade desejada
:: Correia Pinto
Correia Pinto Em 1766, Antônio Correia Pinto de Macedo chegou à região dos Campos de Lages com a incumbência de formar um povoado às margens do Rio Canoas ou do Rio Pelotas. O objetivo era demarcar a ocupação portuguesa e evitar a entrada de espanhóis no Brasil.

A escolha desses locais se deu por serem próximos de rios caudalosos e abundantes de peixe. Antônio Correia Pinto de Macedo trouxe de São Paulo sua família, escravos e mais nove famílias com interesses latifundiários. Primeiro o grupo se instalou na área conhecida como Taipas. Um ano depois, em 1767, mudou para as margens do Rio Canoas, a meia légua abaixo da atual localização da ponte sobre o rio, na BR-116.
Só que logo após erguerem as primeiras casas na área ocorreu uma enchente, que inundou não só as instalações como as lavouras iniciadas. O desbravador se desanimou e partiu, mas deixou ali famílias de sua confiança com a missão de povoar e desenvolver aquelas terras. Esses habitantes remanescentes fundaram a Vila de São Bom Jesus dos Fundos do Rio Canoas ou, resumidamente, a Vila do Bom Jesus de Canoas. Incentivada pelo movimento das tropas, ela crescia com ares de urbanização. Além do ciclo da pecuária, existia igreja, pousada e comércio no local.

Em 1920, já eram 22 as moradias e também havia um cartório de registro civil. Então, Laureano Ramos decretou que a vila passaria a constituir um distrito, com a denominação de Correia Pinto, tendo como sede o povoado de Bom Jesus de Canoas, atual localidade de Correia Pinto Velho. O nome é uma homenagem do desbravador que chegou com famílias paulistas e partiu acabando por fundar o município de Lages, de quem o distrito era comarca.


Turismo

Correia Pinto tem nos reflorestamentos de pinus sua maior riqueza natural e econômica, mas também é detentor de rios, cascatas, despraiados, águas termais e sulfurosas, pouco exploradas. Atualmente vive a expectativa da conclusão do futuro Aeroporto Regional, que fica em seu território. Quando entrar em operação ele deve ser uma das portas de acesso aéreo da Serra Catarinense com outras regiões do Brasil.


Pontos Turísticos



.: Águas sulfurosas: Localidade onde turistas param para recolher água e para observá-la correr entre os rochedos. Fica próximo ao KM 226, da BR-116.

.: Águas termais: Uma das riquezas naturais ainda não exploradas pelo município. É um lençol térmico localizado a 1.500 metros de profundidade que aquece a água até 42º C. A vazão é de 600 litros por hora e o líquido tem propriedades medicinais.

.: Barragem do Rio Tributos: Local que serve a torneios de laço realizados periodicamente.

.: Cascata do Cerro Pelado: O lugar ideal para prática de esportes radicais, como o rapel. É uma queda d’água com 35 metros de altura, que desce por um paredão com 85 metros de altura.

.: Morro da Cruz: Local que dá visibilidade de boa parte da região do município.

.: Parque Municipal de Exposições Lindolfo Burc: É a sede de vários rodeios promovidos por Centro de Tradições Gaúchas (CTGs) do município, com eventos quase todos os sábados e domingos, durante a alta temporada que se estende até o final de maio. Também é lá que acontece a Festa do Peão Laçador, outra tradição no município.

.: Parque temático: Construído em homenagem ao monge João Maria, conhecido em toda a serra como profeta e milagreiro. São João Maria de Agostinho foi um andarilho que percorreu toda a região no século XIX. Seus dizeres enigmáticos e hábitos misteriosos, além de sua aparência composta por longas barbas brancas, o tornaram um mito.

Ele apareceu de repente e um dia sumiu sem deixar vestígios. Antes disso, teria previsto que um “tapete preto” iria cortar a região. Para os fiéis, São João Maria falava do asfalto, décadas antes desse tipo de pavimento chegar a Santa Catarina.

O parque temático fica no Posto do Vinho, comércio de gêneros alimentícios típicos da região, localizado a 10 km do Centro de Lages. A área é formada por uma trilha temática de 500 metros de extensão, para lembrar algumas das passagens do profeta. Ali também foi construída uma estátua do monge, esculpida em pedra arenito. O monumento pesa 3,5 toneladas.

.: Pesque e pague Aladir: No Campo dos Lourenços – (49) 3243-1072

.: Quedas do Rio Ribeirão: Na localidade Avencal



Como Chegar

O principal acesso é pela BR-116, rodovia que corta o Estado no sentido sul-norte. É também um dos principais corredores de ligação entre Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Paraná.

Além da BR-116 que cruza o perímetro urbano de Correia Pinto, a SC-424, que liga a SC-425 à BR-116, em Ponte Alta (via não pavimentada) também pode ser usada como acesso ao município. Correia Pinto fica a 25 km de Lages e a 225 km da capital, via BR-282.


Informações turísticas

Prefeitura: Avenida Duque de Caxias, 1569 - Centro
Cep: 88535-000
Telefone e fax: (49) 3243-1150


Outras Informações:

Características

Brasão Correia Pinto

Brasão

Bandeira Correia Pinto

Bandeira

Localização Correia Pinto Como chegar? Clique aqui
  • Área 651,614 km²
  • População 14.842 hab.
  • Densidade hab./km²
  • Altitude 847 m
  • Clima temperado
  • Temperatura máx. 29°C
  • Temperatura mín. -3°C
  • Distância da capital 225 km
  • Festa típica Festa do Peão Laçador