No alojamento dos atletas não há rotina

Adelfia, Fabiele e os pequeninos Pedro e João estavam alojados no Centro Educacional: Fotos: Andressa Ramos

Lages, 11 e 12/11/2017, Correio Lageano, por Andressa Ramos

As salas de aula de Lages se transformaram em quartos para os atletas da 57ª edição dos Jogos Abertos de Santa Catarina. Em cada quarto, uma história diferente. A rotina de um alojamento, não é bem rotina, pois eles precisam se adaptar ao contexto que lhes foi apresentado. O que é o caso dos pequenos Pedro Henrique e João Guilherme, de um ano e cinco meses, que precisam caminhar um pouquinho a mais para tomar banho. Os dois são de Indaial e participam pela primeira de um Jasc, mas já foram acompanhar a mãe, Fabiele Machado da Luz, de 32 anos, em campeonatos de bolão. Alojados no Colégio Centro Educacional, no Centro de Lages, eles representam a cidade de Itajaí. Graças a uma rede de apoio, Fabiele consegue participar tranquilamente de uma partida. As atletas de outras modalidades cuidam de seus filhos. Mas sua mãe, Adelfia Machado da Luz, de 51 anos, viajou por mais de 400 quilômetros, fez partida em Francisco Beltrão e veio destino a Lages, para ajudar a sua filha a competir por Itajaí e praticar o esporte preferido da família. A avó também é jogadora de bolão. Se para sair de casa com um filho pequeno já é difícil, imagine com dois. A programação precisa ser dobrada. Tanto é que a quantidade de bolsas precisou ser maior, pois não há um lugar em que elas possam lavar todas as roupas. Algumas elas até conseguem, e, com um varal improvisado dentro do próprio quarto, estendem toalhas e roupas.

Cozinheira há 10 anos nos Jasc

Marise Souza é cozinheira nos Jogos Abertos de Santa Catarina há dez anos

Marise Souza, tem 57 anos, há dez, dedica sua vida aos esportes. Sua participação não é em uma quadra ou no campo. Ela desempenha papel essencial na vida de um atleta. É cozinheira. Para um atleta, as boas refeições são extremamente importantes. Na 57ª edição dos Jogos Abertos de Santa Catarina (Jasc), Marise está com a sua delegação, Itajaí, alojada no Colégio Centro Educacional, no Centro de Lages. Ela e mais quatro cozinheiras preparam café da manhã, almoço e janta para mais de 200 pessoas. No total, passarão pela escola, mais de 400 pessoas. Entre os pratos preparados estão arroz, feijão, macarrão, farofa e salada. Em média, por dia, mais de 80 quilos de comida são servidos.  Pela manhã, Marise destaca que é um verdadeiro café colonial. Uma forma de incentivo para o dia que promete prováveis vitórias ou derrotas.

Colégio vira casa

As grades do Colégio Centro Educacional se transformaram em varal. Os atletas aproveitam as partes em que o sol é mais intenso para estender suas roupas e não levar tantas peças sujas para casa. O colorido estampado na foto faz parte de uniformes femininos da delegação de Itajaí. As janelas também foram aproveitadas para que as toalhas pudessem secar. Tudo para otimizar o tempo.

Grades do Centro Educacional se transformaram em varal de roupas.

Jogadora

Maristela Dorizani, de 38 anos, participa pela décima vez nos Jogos Abertos de Santa Catarina. Natural de Jaraguá do Sul, ela representa a cidade de Itajaí pela terceira vez. Ela e os outros atletas fazem suas refeições no refeitório da escola.  Os atletas transformam a escola em sua casa. Alguns procuram meios para descontrair. Jogam baralho, inventam brincadeiras e jogam conversa fora, até como meio de tirar a tensão para os jogos.

Attachment

Leave a Comment

(required)

(required)