A Muralha do futsal feminino, em Lages

Bia ganhou o título de goleira menos vazada do Catarinense de futsal feminino, que aconteceu neste ano – Foto: Vinicius Prado

Lages, 09/11/2017, Correio Lageano, por Vinicius Prado

Se o adversário sai zerado e o time faz 10 gols num jogo, não significa somente que o time cobriu o ataque para evitar gols, mas que, também, tem uma forte barreira no gol, que impede a travessia de qualquer bola. No time do Leoas da Serra, que representa Lages nos Jogos Abertos de Santa Catarina (Jasc), essa barreira tem nome e sobrenome: Beatriz Mariano Mendes.

Bia, como é conhecida, é natural de Indaiatuba (São Paulo). Na região, jogou por times como Elias Fausto e Americana, sendo esse o último time a integrar antes de subir a Serra Catarinense. Quando jogava por Americana, esteve ao lado de Rafaela Nicolette, atual técnica do Leoas. Depois de assumir o time lageano, Rafa foi convocando conhecidas e uma delas foi a colega Bia que, desde fevereiro de 2016, é goleira no time.

No futsal desde os 13 anos, Bia começou jogando em algumas posições, mas se identificou com a posição de goleira. Disputou diversos campeonatos regionais na terra natal, mas nunca pensou que alçaria voos como os que têm alcançado em Lages. Reconhecida como a goleira menos vazada do último Campeonato Catarinense de Futsal Feminino, Bia colhe os louros de seu desempenho.

Além de fazer parte do time que venceu a primeira Copa do Brasil, da modalidade, é professora em duas escolinhas integrantes do projeto Leoas da Serra, que inclui meninas e jovens no esporte, na cidade. Com chances de chegarem a final dos Jasc, Bia espera que seja outro grande evento, no qual a torcida tem participado ativamente e apoiado o esporte feminino.

Attachment

Leave a Comment

(required)

(required)