Serra Catarinense. Quinta-feira, 12 de Dezembro de 2019
Anuncie Classificados Correio Lageano
Instituto José Paschoal Baggio
Anuncie Essencial Correio Lageano
ÁREA DO ASSINANTE

Área de acesso restrito aos assinantes do Jornal Correio Lageano:



Esqueci minha senha

Central do Assinante Correio Lageano (49) 3251-8200
Correio Lageano

Redação: 49 3221 3344
redacao@correiolageano.com.br

Comercial: 49 3221 3322
comercial@correiolageano.com.br

:: 19/11/2010 | Política

Dilma se emociona no DN: Eu vi um PT vivo, atuante e combativo em todo o país

Texto:

Brasília, 19/11/2010, Assessoria de Imprensa/Partido dos Trabalhadores

 

 

Na abertura da reunião do Diretório Nacional do PT nesta sexta-feira (19), em Brasília, a presidenta eleita Dilma Rousseff se emocionou e também provocou emoção nos presentes ao fazer um agradecimento à militância petista. Dilma chorou ao relembrar que em todas cidades em que chegava, já no aeroporto ela sempre via "primeiro uma bandeira, uma camiseta, mas, sobretudo, a solidariedade dos militantes".

 

 

"É para este partido que apresento a minha gratidão e o meu reconhecimento", disse ela, emocinada. Ela afirmou que durante toda a campanha eleitoral ela viu um "partido vivo, atuante e combativo em todo o país" que contribuiu decisivamente para construir a vitória na disputa.

 

 

Dilma afirmou que dependerá do apoio, da maturidade e da compreensão do PT para construir o consenso político em torno do projeto nacional iniciado pelo governo Lula, juntamente com a coligação de partidos que irá governar o paísa partir de 1º de janeiro.

 

 

De acordo com ela, a herança bendita do presidente Lula colocará para o novo governo um grande desafio. "As nossas conquistas não podem se repetir, sob pena de não honrarmos o nosso compromisso de transformar este país. Devemos ir em frente e aprofundar o que conquistamos", enfatizou ela.

 

 

Dilma também conclamou militantes e dirigentes petistas a criar um clima de unidade nacional e reafirmou o seu desejo de governar para aqueles que apoiaram o seu nome e também para os que não apoiaram. Para ela, "se disputa na eleição e constroi-se a unidade no ato de governar".

 

 

A presidenta eleita deixou claro o seu otimismo para com o Brasil. "Sem sombra de dúvidas, nas próximas décadas temos o grande desafio de transformar este país, com justiça social que implica na erradicação da miséria e onde os 186 milhões de brasileiros possam ser integrados às riquezas que iremos produzir", disse.

    Assine o CL Online

    Comentários

    Para comentar esta notícia entre com seu e-mail e senha de assinante. Caso não seja assinante, clique aqui. | Esqueci minha senha >>

    • (*) Campos obrigatórios.

    Últimos Comentários