MENDOZA

Mendoza é daqueles lugares que vão se revelando aos poucos, num jogo de aparências que pode até confundir o visitante desavisado. Da janela do avião, por exemplo, tudo o que se vê lá embaixo é uma paisagem seca a perder de vista, dando a impressão de que o desembarque será num deserto e não no maior centro vinícola da América do Sul. Algum tempo depois, descobre-se que Mendoza é tanto uma coisa quanto outra — e, de quebra, ainda oferece atrativos inesperados, que nem faziam parte do plano inicial da viagem.