Ex-doméstica inaugura bufê que aproveita cascas dos alimentos

Das sobras de alimentos que iriam para o lixo, uma empreendedora, moradora do Morro da Babilônia, na zona sul do Rio de Janeiro, faz pratos que vende para a comunidade e para empresários e universidades. Regina Tchelly, 31, fundou em sua casa o bufê Favela Orgânica, que usa talos e cascas de vegetais nos pratos servidos.

Tchelly nasceu em Serraria (PB) e há 11 anos mora no Rio. Sem formação acadêmica em culinária ou experiência anterior como empreendedora, aprendeu a cozinhar trabalhando como doméstica para sustentar as duas filhas.

DICAS – RESTAURANTES EM PARIS

L’Hostellerie de l’Oie

Durante o Caminho de Compostela, conhecemos pessoas do mundo inteiro, mas algumas nos marcaram e nos tornamos grandes amigos.

É caso do casal Carlos Sergio Cesar – Cesar- e sua esposa Maria de Fátima- Fafá, com os quais nos identificamos muito, apreciadores da boa mesa e de bons vinhos.

Em viagem a Paris, Fafá nos envia as dicas abaixo:

Restaurant Saudade

VINHOS – BRASILEIROS COMPRAM PROPRIEDADE DE VINÍCOLA ITALIANA

Depois do ketchup, agora é a vez do Brunello. Um grupo de investidores brasileiros comprou uma das propriedades da Cinzano, na Itália, de nome Argiano onde 100 hectares, nas colônias de Montalcino, fornecem matéria prima para 350 mil garrafas anuais de vinhos. Uma das suas especialidades, o Brunello o de 2006, pode ser encontrado no Brasil pelo preço de R$ 280,00 (uma garrafa) e o Noemi, por R$ 350,00.

(Blue chip – 18/02/2013)

DICA – ALHO ASSADO ÓTIMO PARA A SAÚDE

Além de vários benefícios para a saúde, o alho tem um gosto delicioso. O alho assado é particularmente saboroso e doce, e esta é a maneira mais suave de preparar e comer alho. O alho assado pode ser adicionado a uma refeição ou comido como um petisco, mas é melhor quando adicionado aos alimentos, como sopas ou assados.

Como Fazer Alho Assado

1 Descasque a casca branca que cobre a cabeça do alho. Cada dente deve permanecer com sua cobertura individual e aderida à raiz.

RECEITA – BOEUF BOURGUIGNON

Um dos pratos tradicionais da culinária francesa é o Boeuf Bourguignon.
Esta receita do Emmanuel Bassoleil, francês da região da Borgonha, radicado no Brasil e considerado um de nossos melhores cheffs, é excelente.

Boa de fazer na companhia de amigos, conversando, tomando um bom vinho já que é um pouco demorada (2 a 3 horas de cozimento). Preparamos este domingo de carnaval com João Vicente e a Fran, Chico e a Isabel. Ficou muito boa.

DICAS – CARAFE

A ousada arte da carafe: o champagne demi-sec, para ser melhor apreciado, deve ser colocado em uma carafe (decanter) pré-gelada alguns minutos antes de ser servido; isto mostrará a esplêndida nuance dourada do champagne.

Em termos sensoriais, colocar o vinho em uma carafe o deixa mais redondo. Ao fazer as bolhas menos ativas, o champagne se abre e se torna mais saboroso, trazendo uma maravilhosa sensação para o final da refeição. Santé!

fonte: Veuve Clicquot

CONHEÇA OS VINHOS DE CHABLIS!

Chablis é um dos vinhos mais respeitados da França, ele é produzido na Borgonha e esta na lista dos melhores tops brancos do mundo. Trata-se de um vinho que merece toda a nossa atenção! É realmente um rótulo que encanta com sua elegância e finesse. Seus vinhos em sua maioria não passam por barricas de madeiras, conservando assim, todo o seu frescor, aroma de frutas e minerais. No nariz, apresenta aromas de frutas brancas, com notas de baunilha e florais.   Esses vinhos são classificados como: Chablis et Petit Chablis, Chablis Premier Cru e Chablis Grand Cru.

VINHOS, CHAMPAGNE E O CARNAVAL

Se o desejo é cair na folia neste carnaval, não perca tempo! Caia e com vinho, mas sem exagerar, é claro. Com dias quentes alternados com a tradicional chuvinha de carnaval, nada melhor do que se refrescar ao som das marchinhas ou do samba. Uma dica é alternar a folia, com vinhos leves como os roses, brancos e espumantes.

Caso a preferência seja por um champagne ou espumante, a comemoração deverá ficar ainda mais completa.

VINHOS

Você sabia que na Argentina, os vinhos precisam ter um mínimo de 80% de uma determinada uva para estampar a casta em seu rótulo? Um malbec varietal, por exemplo, pode ter até aproximados 20% de outras uvas em seu corte, como a merlot.

“Agora que a velhice começa, preciso aprender com o vinho a melhorar envelhecendo e, sobretudo, a escapar do terrível perigo de, envelhecendo virar vinagre”.

Dom Helder Câmara